quarta-feira, setembro 07, 2011

Servidores grevistas continuam na Reitoria da UFRN

A greve dos servidores técnicos-administrativos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que completou três meses ontem, tomou um novo rumo. Sem avanços nas negociações com o governo federal, os manifestantes optaram por ocupar o prédio da reitoria da instituição. A ocupação foi pacífica e aconteceu na manhã da última segunda-feira. Na tarde de ontem, cerca de 30 pessoas estavam acampadas na recepção do gabinete da reitora com faixas que diziam "Se não tem negociação, ocupar é a solução".

De acordo com Sandro Pimentel, integrante do comando de greve, desde o início da greve as negociações pouco avançaram. Os servidores técnicos-administrativos reivindicam um aumento do piso salarial que atualmente é de R$ 1.034 para R$ 1.656, e a atualização dos valores dos auxílios. O auxílio alimentação, por exemplo, é de R$ 304, e a categoria reivindica aumento para R$ 600. "O auxílio pré-escola também é um bom exemplo, o valor está congelado desde 1995 e nós precisamos que esse valor seja reajustado", dissePimentel.

A ocupação do prédio da reitoria foi decidida após uma reunião que aconteceu na segunda-feira entre o comando de greve e os deputados federais Fátima Bezerra (PT), Alice Portugal (PcdoB) e Rosinha (PT). "Nessa reunião nos foi proposto um calendário para discutir aumentos em 2013 com a condição de suspendermos a greve. Mas nós temos que discutir 2012 e não 2013, por isso a ocupação se fez necessária", disse Sandro Pimentel. Segundo ele, a ocupação à reitorias acontece simultaneamente em nove universidades federais do país.

Dentre os acampados na reitoria da UFRN estão servidores técnicos-administrativos e alunos da instituição que apóiam a greve. A estudante de História, Jéssica Régis, 20, integrante da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (Anel), é uma das que faz parte da ocupação. "Apoiamos a greve dos servidores e estamos nos fazendo presente no movimento, tanto aqui no acampamento, como passando nas salas de aula para divulgar o nosso apoio à greve", disse. Os grevistas afirmam que permanecerão acampados na reitoria por tempo indeterminado. A reportagem tentou falar com a reitora Ângela Paiva, mas ela estava viajando.



FONTE: www.dnonline.com.br

0 comentários:

Postar um comentário