quinta-feira, julho 28, 2011

Danone cresce no Brasil, mas cai mundialmente


SÃO PAULO - Enquanto as vendas mundiais da divisão de produtos lácteos da Danone tiveram queda em volume devido ao aumento de preços feito pela companhia, aqui elas vêm crescendo na casa dos dois dígitos, segundo disse ao Valor o presidente da Danone Brasil, Mariano Lozano.

A fabricante francesa reportou hoje queda de 0,2% no volume vendido de lácteos, sem considerar aquisições ou disposição de ativos no segundo trimestre do ano. No semestre, na mesma divisão, houve alta de 1,4%.

"Claramente estamos vendendo ainda acima do ano passado, mas não na velocidade quase animal que registramos em 2010", afirmou Lozano. A companhia, segundo ele, também fez aumentos de preços (de percentuais variados) no Brasil, por conta da alta nas commodities. Mesmo assim, diz ele, as vendas continuaram crescendo.

Os produtos mais vendidos, segundo Lozano, foram a linha Danoninho e Activia. "Mais que dobramos o volume de Danoninho nos últimos quatro anos e já somos o país com maior volume dessa linha dentre todos os mercados em que a Danone atua no mundo", afirmou o presidente, acrescentando ainda que as vendas de Activia correspondem a um quarto do faturamento da empresa no país. Um dos motivos para o bom resultado de Danoninho no país, segundo Lozano, foi o lançamento da versão leite fermentado da marca em abril. Nos primeiros quatro meses do ano, conforme a Nielsen, a categoria cresceu 9,2% em volume. Nessa categoria, os líderes de mercado são Chamyto, da Nestlé e Yakult, da japonesa Yakult.

A companhia reportou que seu lucro operacional (englobando todas as categorias de produtos) cresceu 6.9% no semestre, alcançando 1,396 bilhão de euros (US$ 2,01 bilhões). Incluindo águas, as vendas cresceram 8,7% no semestre, chegando a 9,728 bilhões de euros, considerando a mesma base de ativos.

A divisão de águas foi a que teve melhor resultado globalmente para a companhia, com 18,5% de alta nos volumes no segundo trimestre, considerando-se a mesma base, graças à demanda na Europa Ocidental durante abril e maio e também por conta de aumento de vendas no Japão, devido ao tsunami que atingiu o país em março.

Para o ano todo de 2011, a Danone manteve sua expectativa de alta de 6% a 8% nas vendas. A empresa acredita que o preço das commodities deve continuar subindo, o que resultaria em uma variação de 6% a 9% superior aos preços de 2010.

(Lílian Cunha | Valor)


FONTE: oglobo.globo.com

0 comentários:

Postar um comentário